Respondendo algumas objeções protestantes

Os protestantes fizeram esse quadro abaixo, e postaram em nossa página no Facebook: CaiaFarsa. Então é com muito prazer que trouxemos as respostas. Não especificamente a eles, porque assim como os fariseus, nem vendo a verdade diante dos olhos são capazes de admitir que o catolicismo é a verdadeira Igreja de Cristo, mas trouxemos para os verdadeiros Católicos, que tantas vezes são questionados e não sabem como respondê-los. Eis numerados uma a uma das perguntas e suas devidas refutações. Algumas bem maldosas, diga-se de passagem! Acompanhem:

Clique na Imagem para ampliar.

1 - Qual dos apóstolos foram padres ou instruíram alguém a ser?

R: Padre significa Pai, aquele que guia, que cuida dos filhos, das almas, da salvação. É bíblico!

“Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos Constitui bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue. Sei que depois da minha partida se introduzirão entre vós lobos cruéis, que não pouparão o rebanho. Mesmo dentre vós surgirão homens que hão de proferir doutrinas perversas, com o intento de arrebatarem após si os discípulos” (At 20,28-29).

Cristo escolheu seus Apóstolos pessoalmente, e com eles conviveu durante cerca de três anos, formando-os para serem seus enviados (= Apóstolos). Na última ceia, instituiu o sacerdócio da Nova Aliança. Ordenou que os Apóstolos e os seus sucessores no sacerdócio renovassem na Missa o sacrifício da cruz; e, com estas palavras: “Fazei isto em minha memória” (Lc 22,19), os instituiu sacerdotes do Novo Testamento.

No dia da Ressurreição, no domingo, a primeira coisa que Ele fez foi conferir-lhes o poder de perdoar ou reter os pecados, dando-lhes o poder que Ele próprio tinha de perdoar os pecados. Eis abaixo o versículo:

"Assim como o pai me enviou, também eu vos envio a vós. Tendo dito estas palavras, soprou sobre eles e disse-lhes: "Recebei o Espírito Santo. Àquele a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos." (Jo XX, 21-23).

Agora eu pergunto, qual protestante obedece esse versículo acima? Nenhum! Eles não confessam seus pecados, ignoram esse ensinamento de Jesus Cristo e ainda acusam os padres católicos de tantas coisas! Acusam os católicos de não obedecerem a bíblia, mas são eles que pegam versículos isolados para fundar suas seitas! Sem nenhuma autoridade.

Como sabemos, os Apóstolos sabiam que o sacerdócio deveria continuar na Igreja depois deles morrerem, depois de evangelizar uma cidade e antes de deixa-la, impunham as mãos a outros, comunicando-lhes o sacerdócio. Por exemplo, São Paulo diz a Timóteo:

“Por este motivo, eu te exorto a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. Pois Deus não nos deu um espírito de timidez, mas da fortaleza, de amor e de sabedoria. Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus” (2 Tim 1,6-8).

Portanto, a imposição de mãos, era para o SACERDÓCIO, e não para "orar" por qualquer um como fazem os protestantes. 

Agora eu pergunto novamente: Quem impôs as mãos sobre o pastor fundador de sua seita? Você pode me traçar uma linha de imposição de mãos dos apóstolos até chegar no seu pastor? Você não pode, mas nós Católicos podemos! Porquê só a Igreja Católica é verdadeiramente apostólica. 

Nos Atos do Apóstolos vemos São Lucas dizer que: “Em cada igreja instituíram anciãos [bispos] e, após orações com jejuns, encomendaram-nos ao Senhor em que tinham confiado.” (At 14,23).

Vemos também São Paulo se despedir dos bispos de Éfeso, de maneira emocionada, pedindo que eles cuidem do rebanho contra os lobos hereges, confira em At 20,28-29.  Além dos doze apóstolos, Jesus chamou mais 72 colaboradores, com missão análoga à dos Apóstolos. Os Atos dos Apóstolos mostram que Pedro e Paulo iam instituindo presbíteros (epískopoi em grego) onde passavam para que esses dirigissem a comunidade.

“Em cada igreja instituíram anciões e, após orações com jejuns, encomendaram-nos ao Senhor, em que tinham confiado.” (At 14,23).

“Eu te deixei em Creta para acabares de organizar tudo e estabeleceres anciãos em cada cidade, de acordo com as normas que te tracei.” (Tt 1,5).

“Os presbíteros que desempenham bem o encargo de presidir sejam honrados com dupla remuneração, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino” (1 Tm 5,17). Etc etc. Existem inúmeros versículos na bíblia que mostram o trabalho verdadeiro de um padre (sacerdote). 

As vestimentas dos padres são baseadas nas escrituras, especificamente no antigo testamento, veja: 





Agora eu pergunto aos protestantes: Onde na bíblia tá escrito que que o "pastor" deve usar terno e gravata? Onde tá escrito que obrigatoriamente deve ser casado? Onde tá escrito que podem pegar dízimos milionários para construir fazendas, comprar aviões como alguns fazem? Não consigo sequer imaginar São Paulo apóstolo de terno e gravata com uma bíblia embaixo do braço berrando em um "palco". Esse não é o S. Paulo da bíblia (quem sabe pode ser Saulo, Paulo não). 

2 - Qual deles construiu algum templo ou orientou alguém a construir? 

Capela de Santo Ananias – Damasco (Síria), 
construída no século 1 d.C, de uma das primeiras
 casas de culto cristão.
Pergunta ridícula, sendo que existem vários "templos" protestantes em todas as esquinas extorquindo os fiéis. Mas é praticamente impossível saber o que pensam todos os protestantes, sendo que todos eles (com a mesma bíblia) não concordam entre si mesmos. Uns ensinam de uma forma, outros de outra forma, e assim vão fundando seitas e mais seitas apenas com uma bíblia na mão. Todos achando-se muito inspirados pelo Espírito Santo. Mas não sabem eles que o Espírito Santo de Deus, não é Deus de divisão. Ainda existem aqueles coitados que dizem que não precisamos de templos, podemos servir a Deus com uma bíblia na mão apenas em casa. Poxa, coitados dos cristãos primitivos então! Que ficaram três séculos em que a bíblia sequer existia! O que existiam eram livros e mais livros separados do antigo testamento, e o novo ainda não estava formado! Imagina se eles tivessem a mentalidade protestante, certamente se jogariam de um penhasco sem uma bíblia para carregar embaixo do braço.

A construção de templos não é errado. Nunca foi! Então como os cristãos primitivos celebravam o culto a Deus no início da era cristã? [1]

Na comunhão do pão e na oração perseveravam os primeiros cristãos (At 2, 42), celebrando os santos mistérios sacramentais, e no inicio do II séc. usando a disciplina do Arcano, onde os mistérios cristãos eram celebrados secretamente para que não se paganizassem e se mantivessem no seio da Igreja, vivos, os gentios não participavam, os que podiam gozar de tais mistérios os “sacramentos” eram os já catequizados e batizados. No serviço litúrgico (At 13, 2); reunidos na casa de membros da comunidade ou em lugares ocultos (como catacumbas), devido à perseguição, nos tempos primitivos muitos apóstolos ministraram a “liturgia”, ou seja, o oficio ou serviço de adoração a Deus, em suas casas edificações que ficaram conhecidas como Domus Eclesiae que mais tarde virá a se tornar Domus Dei edifícios só para o culto cristão.

Celebravam no primeiro dia depois do sábado (o Domingo, segundo São João, Ap. 1, 10), quando S. Paulo diz para partir o pão (At. 20,7), os cristãos cultuavam a Deus mais frequentemente. Faziam à leitura dos profetas, das epístolas dos apóstolos, das cartas que dirigiam às igrejas. Estas leituras eram explicadas, conforme S. João, que, conduzido a Éfeso, limitou-se a esta exortação: "Meus filhos, amai-vos uns aos outros". Desta prática de explicar o que era lido no Texto Sagrado, deriva a realização das homilias e sermões.

Vejamos os primeiros registros sobre a liturgia o que dizem os Pais Apostólicos da Igreja

S. Justino Mártir, (103-167) filósofo pagão que se convertera , tornando-se sacerdote e mártir, contemporâneo de Simeão (que havia ouvido Nosso Senhor Jesus Cristo), de S. Inácio, de Clemente, companheiro de S. Paulo na pregação, de Potino e de Irineu, discípulos de Policarpo em sua obra Apologia 2, escreve: "No chamado dia do Sol todos os fiéis das vilas e do campo se reúnem num mesmo lugar: em todas as oblações que fazemos, bendizemos e louvamos o Criador de todas as coisas, por Jesus Cristo, seu Filho, e pelo Espírito Santo" e sobre a reunião dos primeiros cristãos para culto ele descreve.

Como podemos ver, os cristãos primitivos se reuniam sempre no mesmo lugar, todos os domingos e celebravam a missa em cima das catacumbas Eles fazem isso secretamente porque no início da era cristã, os cristãos eram perseguidos e mortos. Muitos deram sua vida por Nosso Senhor Jesus Cristo e se tornaram mártires. Só com o Imperador Constantino, os cristão obtiveram a liberdade de culto. 

E eu pergunto, se eles se reuniam todos no mesmo lugar, como assim não pode haver templos? Os protestantes são doentes! São loucos! Não há problema algum com templos, Igrejas. Isso é até uma forma de evangelização, pois traz a doutrina de Jesus Cristo à público, levando o reinado de Nosso Senhor às cidades e locais do mundo inteiro. Em toda a bíblia não há um só lugar em que os apóstolos condenem "templos" ou algum lugar onde tenham dito para nunca fazê-los!

3 - Qual deles criou um ritual de confessionário para depois cumprir uma penitência sacrificial?


O sacramento da penitência já foi provado na bíblia. São palavras do próprio Cristo: 

"Assim como o pai me enviou, também eu vos envio a vós. Tendo dito estas palavras, soprou sobre eles e disse-lhes: "Recebei o Espírito Santo. Àquele a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos." (Jo XX, 21-23).

O confessionário foi instituído para a pessoa conseguir contar seus pecados sem precisar olhar no rosto do sacerdote. Pois ali não é o "homem" que está ouvindo e sim o próprio Cristo. O sacerdote é apenas um meio pelo qual Deus perdoa os pecados. No confessionário há uma cruz (ao menos deveria existir em todos), para o penitente olhar para Cristo enquanto confessa seu nada e suas fraquezas, para assim obter o perdão de Deus, através do arrependimento de suas faltas. 

A penitência é um ato reparatório de nossos pecados. Como  pecado ofendemos a Deus, com a penitência, lhe damos um "presente". Falando de forma bem simples para o protestante compreender é mais ou menos isso. Pois a penitência é uma prova do amor a Deus, onde ele permite que reparemos nossas faltas ainda em vida, o que seria muito mais difícil no purgatório. 

Penitências é sacrifício de nossa parte para apagar nossas penas temporais. Aliás, castigar nosso corpo com penitências e mortificações também é bíblico. O próprio S. Paulo pelo jeito não era nada protestante, ele castigava seu corpo com penitências, diferente do "crente" que já tá salvo e não precisa dessas coisas não é mesmo? Eis:

"Ao contrário, castigo o meu corpo e o mantenho em servidão, para que não venha eu a ser excluído pelos erros que preguei aos outros." (1 Cor IX, 27). 

Acho que não preciso citar os inúmeros versículos bíblicos, inclusive do novo testamento em que os apóstolos ensinam a jejuar. Bem, o jejum e a penitência são bíblicos e nos ajudam a evitar os pecados. Somos tentados o tempo inteiro, e quem consegue castigar seu corpo, na hora da tentação será mais forte para resistir e não cair em tentação. 

4 - Qual deles estabeleceu o rosário (idêntico ao budista) para conta de rezas?


Primeiro: O Rosário católico não tem NADA de budista! Isso é uma mentira e das grossas. Quem falou isso tem muita má fé. Pois os budistas sequer acreditam em um Deus soberano, tampouco na Virgem Maria, nem no sacrifício de Jesus Cristo. Como diz a bíblia: O diabo é o pai da mentira. (Jo VIII, 44). E essa mentira só pode ter vindo dele mesmo. 

O Rosário é bíblico, já existe um artigo explicando isso na página, creio não ser necessário repetir. Acesse: O rosário é bíblico. Quem fala o contrário, sequer saber o que significa o rosário, nem sabem qual a finalidade dele. Tampouco as orações. Só para começar o Pai Nosso rezado no rosário é bíblico (Mt VI, 9-13). Grande da Ave Maria também (Lc I,28-55; Jo II,1-11). E todos os mistérios meditados durante o rosário são cenas bíblicas! Acesse o artigo no link citado acima e vejam.

5 - Qual deles estabeleceu o culto aos santos?

Se a pessoa refere-se a um culto especifico aos santos, sem finalidade alguma a não ser a eles. Isso não existe no catolicismo! O que existe é a INTERCESSÃO dos santos. E isso é totalmente bíblico. Muitas vezes a bíblia diz que é possível uma pessoa interceder por outra. E isso ocorre até mesmo no meio protestante. Já vi muitas pessoas indo até o pastor (até se ajoelham as vezes) para o pastor fazer uma oração por eles. Ora isso nada mais é que uma intercessão. É EXATAMENTE a mesma coisa que fazem os santos, oram por nós, intercedem, com uma diferença gigantesca que eles já ganharam o céu, diferente do pastoreco de sua igreja que só faz gritar e blasfemar contra a Mãe de Deus. Nem se pode comparar um deles com o grande S. Tomás de Aquino, S. Agostinho de Hipona, S. Afonso de Ligório e tantos outros! Seria até covardia!

A intercessão dos santos está na bíblia. Eles não são deuses como afirma os protestantes. São cristãos como nós, que ora por nós e intercedem, e isso é tudo. Veja onde está a intercessão na bíblia acessando o seguinte link: Jesus é o único mediador entre Deus e os homens [salvação].

6 - Qual deles fez promessas para santos?

Essa pergunta é ótima para responder. Nenhum protestante faz promessas, mas a bíblia diz justamente o contrário! Mas como eles só sabem escolher o que querem, então ignoram ou arrancam livros da bíblia para poder se sentir bem. 

Há muitas passagens bíblicas que provam que podemos sim fazer promessas. Jacó faz uma promessa a Deus: 

“Jacó fez então este voto: “Se Deus for comigo, se ele me guardar durante esta viagem que empreendi, e me der pão para comer e roupa para vestir, e me fizer voltar em paz casa paterna, então o Senhor será o meu Deus. Esta pedra da qual fiz uma estela será uma casa de Deus, e pagarei o dízimo de tudo o que me derdes” (Gn XXVIII, 20-22). 

Ana, a mãe do profeta Samuel, fez um voto: “E fez um voto, dizendo: Senhor dos exércitos, se vos dignardes olhar para a aflição de vossa serva, e vos lembrardes de mim; se não vos esquecerdes de vossa escrava e lhe derdes um filho varão, eu o consagrarei ao Senhor durante todos os dias de sua vida, e a navalha não passará pela sua cabeça” (1 Sm I,11). 

Alguns salmos exprimem os votos ou as promessas dos orantes de Israel (Sl 65, 66, 116; Jn 2,3-9). 

“Se oferecerdes ao Senhor alguma oferenda de combustão, holocausto ou sacrifício, em cumprimento de um voto especial ou como oferta espontânea...” (Nm (I, 5,3). 

“Se uma mulher fizer um voto ao Senhor ou se impuser uma obrigação na casa de seu pai, durante a sua juventude, os seus votos serão válidos, sejam eles quais forem. Se o pai tiver conhecimento do voto ou da obrigação que se impôs a si mesma será válida. Mas, se o pai os desaprovar, no dia em que deles tiver conhecimento, todos os seus votos... ficarão sem valor algum. O Senhor perdoar-lhe-á, porque seu pai se opôs” (Nm 30,4-6). 

Há também recomendações para aqueles que não cumprem as promessas feitas: “Mais vale não fazer voto, que prometer e não ser fiel à promessa” (Ecl 5,4). Até São Paulo fez promessas! Isso está em Atos dos Apóstolos, ele quis submeter-se às obrigações do voto do nazireato: “Paulo permaneceu ali (em Corinto) ainda algum tempo. Depois se despediu dos irmãos e navegou para a Síria e com ele Priscila e Áquila. Antes, porém, cortara o cabelo em Cêncris, porque terminara um voto” (At 18,18). 

“Disseram os judeus a Paulo: “Temos aqui quatro homens que fizeram um voto... Purificar-te com eles, e encarrega-te das despesas para que possam mandar rapar a cabeça. Assim todos saberão que são falsas as notícias a teu respeito, e que te comportas como observante da Lei” (At 21, 23s). 

Existem muitas outras passagens na bíblia que evidências a autenticidade dos votos e das promessas. 

7 - Qual deles fez alguma procissão? 


Procissão com imagens de esculturas é um costume do povo de Deus segundo as escrituras (Js III, 3; Nm X, 33,36; 2 Cr V, 2). Até o Rei Davi participou de procissões (1 Cr XV, 25-29). As procissões do antigo testamento eram iguais as que a Igreja faz hoje:

1  Crônicas XV, 15: "E os filhos de Levi, como o tinha ordenado Moisés, segundo a palavra do Senhor, levaram a arca aos ombros por meio de varais."

O tradutor protestante João Ferreira de Almeida adulterou a bíblia adicionando o termo "procissão" em Isaías 45,20 onde não existe no original, nem mesmo nas bíblias protestantes de outros países como: 

"The new american standart bible", "The king james version (authorized)", "Spanish RV", "Sociedade bíblicas britânica". Essa adulteração foi proposital, pois este termo não existe nem na bíblia judaica (the complete jewish bible - tenach).

Abaixo a descrição de um versículo provando as procissões no antigo testamento, em relação a Arca da Aliança que era levada em procissão. Lembrando que encima da arca existia a imagem de escultura de dois querubins (anjos), que foi mandado fazer pelo próprio Deus (Confira Êxodo 25):

"Levantando-se bem cedo, Josué desfez o acampamento e partiu de Setim com todos os filhos de Israel. Chegados ao Jordão, aí se detiveram antes de atravessá-lo. Passados três dias, os oficiais atravessaram pelo meio do acampamento, dando ao povo esta ordem: Quando virdes a arca da aliança do Senhor, vosso Deus, levada pelos sacerdotes, filhos de Levi, deixareis vosso acampamento e vos poreis em marcha, seguindo-a. (...) Guardai-vos de vos aproximar dela. Isso para que possais conhecer o caminho por onde deveis ir, porque nunca passastes por ele. Josué disse ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o Senhor operará no meio de vós coisas maravilhosas. Depois falou aos sacerdotes: Tomai a arca da aliança e ide, adiante do povo. Eles tomaram a arca da aliança e caminharam à testa do povo. (...). Eis que a arca da aliança do Senhor de toda a terra vai atravessar diante de vós o Jordão. Tomai doze homens, um de cada tribo de Israel. Logo que os sacerdotes que levam a arca de Javé, o Senhor de toda a terra, tiverem tocado com a planta dos seus pés as águas do Jordão, estas serão cortadas, e as águas que vêm de cima pararão, amontoando-se. O povo dobrou suas tendas e dispôs-se a passar o Jordão, tendo diante de si os sacerdotes que marchavam na frente do povo levando a arca. No momento em que os portadores da arca chegaram ao rio e os sacerdotes mergulharam os seus pés na beira do rio - o Jordão estava transbordante e inundava suas margens durante todo o tempo da ceifa -, as águas que vinham de cima detiveram-se e amontoaram-se em uma grande extensão, até perto de Adom, localidade situada nas proximidades de Sartã; e as águas que desciam para o mar da planície, o mar Salgado, foram completamente separadas. O povo atravessou defronte de Jericó. Os sacerdotes, que levavam a arca da aliança do Senhor, conservaram-se de pé sobre o leito seco do Jordão, enquanto que todo o Israel passava a pé enxuto. E ali permaneceram até que todos passassem para a outra margem." (Josué 3). 

O que a bíblica condena verdadeiramente em Isaías 45,20 é a procissão com ídolos! Ou seja, falsos deuses. O que não é o caso do catolicismo, pois sabemos muito bem que os santos não são deuses, são pessoas como nós, tampouco a Virgem Maria, que é a Mãe de Deus, mas não deusa, está abaixo de seu filho que é Deus. O Catolicismo é uma religião monoteísta.

Não citarei nada sobre coreografias, nem danças, visto que tais coisas são coisas de modernistas e nunca existiu no catolicismo, somente nas seitas protestantes. Não existe nenhum documento Católico, encíclica, concílio etc, que tenha mandado ou orientado fazer tais coisas. O que não está devidamente documentado não deve nem ser levado em conta.

8 - Qual deles utilizava velas como ritual religioso?


Bem. Se os apóstolos utilizavam velas em "rituais" eu não sei (risos), mas os protestantes adoram usar! To mentindo? Visite este link: velas em "igrejas" presbiteriana, batista, evangelho pleno, metodista, congregacional, etc.

O uso de velas tem base bíblica também (o choro é livre):

“Farás um candelabro de ouro puro… Far-lhe-ás também sete lâmpadas. As lâmpadas serão elevadas de tal modo que alumiem defronte dele” (Ex 25, 31.37)

“O Senhor se refere à luz que brilha sobre um candeeiro” (Mt 5, 15)

“Cristo aparece entre candelabros“ (Ap 1, 13; 2, 1).

9 - Qual deles fez festa em honra a Virgem Maria? 


Não há problema algum em honrar a Santíssima Mãe de Deus. Quem fez isso nunca deve ter recebido uma festa de aniversário quando criança, ou nunca deve ter dado uma festa a sua mãe, ou seu pai terreno. Ora, onde na bíblia ela condena tais coisas? Mentira! 

Os protestantes pensam que a bíblia é como um manual. Em que absolutamente tudo deve estar escrito nos mínimos detalhes. Acho que eles nem devem fazer suas necessidades pessoais, lavar o cabelo, se pentear, cortar as unhas, a bíblia também não manda fazer nada disso. Também a bíblia não diz quais são os livros inspirados não é mesmo? Se a bíblia não dá uma lista do Cânon protestante, como o protestante tem tanta certeza que são realmente 66 livros o total e não 73? Com que base bíblica você sustenta sua teoria? Onde a bíblia diz que somente ela é fonte de fé? O dia que você me provar em sua bíblia tais coisas, então quem sabe apareça junto o lugar em que está escrito que você não deve honrar a Mãe de Cristo. 

10 - Água benta [2] :


A água benta é um sacramental, ou seja, um sinal instituído pela Igreja, que recebeu autoridade do Senhor para tal ministério (Mt 16,18-19; 18,17-18). Ela é o sacramental mais usado pela Igreja, pois nos lembra o Batismo, nossa purificação: "... o batismo de agora, que vos salva também a vós, não pela purificação das impurezas do corpo, mas pela que consiste em pedir a Deus uma consciência boa, pela ressurreição de Jesus Cristo". (I São Pedro 3, 21)

No batismo é a água quem nos abençoa ou tem algum poder sobrenatural? Obviamente que não! É a Trindade Santíssima! O Espírito Santo que está no céu! Então vejam que a água do batismo é só um sacramental (um instrumento). Eu poderia dizer "não precisamos de água para batizar, Deus é quem batiza e tá em toda parte". Ora estaria eu indo contra as próprias escrituras. Vejam que DEUS QUIS usar-se de um sacramental. Só isso! A água benta é a mesma coisa: Deus abençoa, a água é apenas um sacramental. Fim. 

Visite o link para saber mais: A água benta na tradição da Igreja.

11 - Indulgências:


A indulgência é o perdão das penas devidas por nossos pecados (Num 20,12; 1 Sam 3, 14.17-18; 2Sam 12, 13-14; Jon 1,12 ; At 5, 3-5.9-10; Jó 2, 8 ). 

Todo pecado produz uma mancha (Mateus 15,18-20), uma pena, uma culpa que deve ser expiada, mesmo depois de perdoada, através de algum castigo ou sofrimento (1 Samuel 3, 14.17-18; 2 Samuel 12, 13-14; I Coríntios 11,30-32).

As indulgências nos livram desses castigos ou penas.

A Igreja recebeu o poder de perdoar os pecados(João 20, 21-23; 2 Coríntios 5, 18-20) e dar indulgências pelo poder das chaves de ligar e desligar (Mateus 16, 19; 18,17-18).

Também podemos aplicar as indulgências que recebemos em favor dos outros (Gálatas 6,2), pois devemos orar para que nossos irmãos tenham seus pecados perdoados (1 João 5,16-17 ) sejam os vivos ou os mortos ( II Macabeus 12,43-44; I Coríntios 15,29; II Coríntios 5,9).

Mais informações no link: Indulgências na bíblia.

12. Inquisição:


Existem muitos mitos sobre a Santa Inquisição. O primeiro deles é que a Igreja "matava" pessoas. Isso não é verdade. O fato é que na época existia a união entre estado e Igreja. Naquela época, atacar o Papa era um crime contra o estado. Quem punia era o estado e não a Igreja! Por isso o estado estava punindo os hereges por conta própria, as vezes autoridades eclesiásticas nem ficavam sabendo. Justamente por isso surgiu a Inquisição. A Igreja instituiu um tribunal onde ela mesma iria verificar os casos para que ninguém fosse punido sem motivos. 

Muitas penas instituídas pela Igreja eram orações, penitências, algumas pessoas ficavam presas durante um tempo, onde sacerdotes católicos conversavam com tal pessoa tentando uma conversão e arrependimento de suas faltas. 

Os casos de mortes não foram milhares como contam alguns. E só ocorria a morte (pelo estado) quando esgotava-se todas as possibilidades de ajudar tal pessoa. O tribunal não julgava todas as pessoas, apenas católicos que afrontavam a fé publicamente e descaradamente. 

Algumas perguntas deste quadro feito por protestantes são, como foi dito anteriormente, maldosas e de muito mal gosto! Só falta perguntar onde tá na bíblia o nome da pasta de dente usada por nós, porque não é a mesma marca dos apóstolos. E que não podemos comprar sapatos nas lojas dafiti, porque os apóstolos não compravam, ou ainda, onde está na bíblia que os apóstolos usavam internet para evangelizar (sic). Como se a bíblia fosse um manual de como viver e escolher até a cor das pantufas. Simplesmente patético e ridículo! 

A bíblia foi feita pela Igreja Católica, através dos concílios. Eu por exemplo, aceito o livro de S. Lucas evangelista como inspirado. Porque? Porque a Igreja assim o definiu. 

E você protestante, com que base bíblica você me prova que ele é realmente inspirado? Ora, S. Lucas, não conheceu Jesus Cristo, como poderia narrar tantos fatos de sua vida sem conhecê-lo? Como você aceita na sua bíblia um livro (nos evangelhos ainda) de uma pessoa que não conheceu a Jesus Cristo? 

Eu aceito porque confio na Igreja, e você? Percebem que sem a tradição da Igreja é impossível até termos a própria bíblia? São perguntas que os protestantes nunca responderão. Porque "não está escrito na bíblia" tais respostas. Tampouco poderão sustentar sua teoria da sola scriptura quando alguém mandar mostrar o Cânon protestante na bíblia. Aí pronto, foi-se a sola scriptura deles. Ai começam os argumentos não-bíblicos e toda hipocrisia protestante para justificar suas heresias.

Lembrando que nós justificamos os ataques acima na bíblia, simplesmente porque eles tem referência bíblica, mas nós não temos nenhuma obrigação, como Católicos de mostrar tudo o que cremos na bíblia. Nós cremos em três Pilares: Tradição, Bíblia e Magistério. A própria bíblia manda seguir a tradição:

"Em nome de Nosso Senhor, Jesus Cristo, mandamos que vos afasteis de todo irmão que se entrega à preguiça e não segue a tradição que de nós recebestes." (2 Tm 3,6).

"Tu, pois, meu filho, sê forte na graça de Cristo, e o que de mim ouviste perante muita testemunha confia-o a homens fiéis capazes de ensinar a outros." (2 Tm. 1-2).

Eis acima a tradição oral.

Nem tudo está na Bíblia: 


"Há ainda muitas coisas feitas por Jesus, as quais, se se escrevessem uma por uma, creio que este mundo não poderia conter os livros que se deveriam escrever." (Jo 21,25).

S. Paulo: "Irmãos, ficai firmes e conservai as tradições que aprendestes, quer por palavra, quer por escrita nossa." (2 Tess 2,15).

CAIAFARSA

5 comentários:

  1. Quais foram os critérios usados pelos próprios apóstolos para escolher o sucessor de Judas?

    ResponderExcluir
  2. Está na Bíblia, em Atos dos Apóstolos 1, 23-26

    ResponderExcluir
  3. Como pode haver apóstolos, ou pessoas com autoridade apostólica, se as mesmas não acompanharam o Senhor Jesus no seu ministério?

    ResponderExcluir
  4. Isso se chama sucessão apostólica. Eles podem não ter acompanhado Nosso Senhor pessoalmente, mas sucedem aqueles que acompanharam, portanto O acompanham em Seu ministério.

    ResponderExcluir
  5. graças a Deus nunca tive dúvida disso. Amém

    ResponderExcluir

Bem vindo ao nosso espaço! Os comentários antes de serem postados, passam por aprovação da moderação. Por isso lembramos aos seguidores que não serão aceitos comentários maldosos, irônicos com tom de maldade, acusações infundadas e ataques diretos e indiretos a Fé Católica e à Moral da Igreja. Também não serão aceitos "copia e cola" de baboseiras de outros blogs, sem nem ao menos ler e responder o artigo racionalmente e de forma honesta. Salve Maria Puríssima.